quarta-feira, 7 de março de 2012

Quer fazer parte desta festa?

Os que com lágrimas semeiam,  com júbilo ceifarão.  Quem sai andando e chorando,  enquanto semeia,  voltará com júbilo, trazendo os seus feixes. Salmo 126.5–6.
Comemoração é uma palavra interessante!
Junta o arcaico memorar que vem diretamente do latim com o prefixo co- que deriva  da preposição com, junto. Tecnicamente só pode haver co-memoração quando nos lembramos juntos de alguma coisa.
Etimologicamente, a lembrança não precisa ser alegre, mas o termo comemorar já ganhou definitivamente esta conotação de lembrar com alegria, alegrar-se junto com alguém.  Conseguimos até comemorar sozinhos, embora não tenha o mesmo sabor. Gostamos de assistir partidas de futebol juntos porque a comemoração, se o nosso time ganhar, é sempre mais gostosa em grupo.
Embora  a nossa versão em português da Bíblia use os derivados do verbo comemorar muito poucas vezes, no entanto, somos convidados em todo tempo a nos lembrar de algo. A Bíblia nos convida a nos lembrar do dia em que fomos libertados do Egito, da lei de Moisés, da mulher de Ló, das palavras de Jesus, das maravilhas que Deus realizou, dos nossos atos pecaminosos para podermos nos arrepender... Enfim, parece que a memória tem um papel importante em nossa relação com Deus e o seu povo. Em algumas destas ocasiões Deus até instituiu cerimônias especiais para nos fazer lembrar solenemente de algumas coisas que não devem ser esquecidas. A páscoa, a Ceia do Senhor e tantas festas no Antigo Testamento servem a este propósito: “trazer à memória o que nos pode dar esperança”
Quero deixar algumas dicas que podem fazer bem para nossa memória espiritual e nos ajudar a exercitar esta capacidade da mente e do coração que nem sempre usamos para armazenar coisas que fazem bem à nossa alma. Ás  vezes nos lembramos do que deveríamos esquecer e perdoar e esquecemos do que deveríamos lembrar. Estas deveríamos não somente guardar em nossa memória, mas no coração, cumprindo assim o sentido etimológico da expressão “ saber de cor”, isto é, saber do coração.
Aí vão as dicas:
Quando você participa e luta por alguma coisa, você se lembra. Aquilo fica guardado no coração. O salmo 126 fala do júbilo e da comemoração daqueles que choraram enquanto semeavam. Fala que eles voltarão saltando de alegria (literalmente no original) porque participaram da luta, sentiram o calor, choraram pela escassez e agora co-memoram a bênção de Deus.
Quem aprende a guardar no coração, como Maria, sabe de cor. Guardar no coração é meditar. Em hebraico a palavra meditar é ruminar, mastigar várias vezes, extrair toda a essência e o gosto das coisas. Infelizmente fazemos isto com muita facilidade quando somos insultados, contrariados, ofendidos, esquecidos. Temos que desaprender este envenenamento lento e fatal para a nossa saúde. Precisamos, como Lamentações de Jeremias nos ensina, “trazer à memória o que me pode dar esperança” ou Paulo aos Filipenses, aprender a pensar no que é bom, agradável, cheio de virtude, cheio de louvor... É preciso força de vontade e treino. Mas fará você comemorar mais!
Quem sabe ver nas pequenas vitórias a mão de Deus, lembra-se que Deus está no controle nas grandes derrotas e angústias. Quem aprende a reconhecer antes a mão de Deus do que a do diabo, comemora muito mais do que os que só vêm o pior do mundo e das pessoas. Estes são capazes de descobrir a falhas microscópicas nas grandes alegrias... e fazem questão de apontar que a sua tristeza se alastre! Que pena.
Deus nos convida a esconder a sua palavra em nosso coração, nos convida a celebrar, a comemorar, a alegrar-se, a rejubilar-se. Ele nos diz que a alegria do Senhor é a nossa força.
Jesus demonstra o desejo profundo de Deus quanto à nossa vida quando diz em João 16:24 “Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa. “
Vamos comemorar. Jesus nos deu vida e só a compreensão desta verdade já  é capaz de nos fazer comemorar por toda a eternidade.
Quer fazer parte desta festa?
Postar um comentário