quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Igreja! Pra que?


Pensemos uns nos outros a fim de ajudarmos todos a terem mais amor e a fazerem o bem.   Não abandonemos, como alguns estão fazendo, o costume de assistir às nossas reuniões. Pelo contrário, animemos uns aos outros e ainda mais agora que vocês veem que o dia está chegando.  Hebreus 10:24-25 (NTLH-SBB)
Poucos são aqueles que ainda acreditam na igreja como porta-voz da Palavra de Deus ou como uma instituição que pode salvar. Mesmo os conceitos de Salvação e Palavra de Deus são distantes do senso comum, da vida do dia a dia. Não são poucos os que já questionam abertamente: Igreja! Pra quê?
De fato, a Igreja, seja protestante histórica, pentecostal, neopentecostal, evangélica ou católica, perdeu a sua força, relevância e influência no mundo há muito tempo! Só alguns padres e pastores ainda não perceberam isto.
Pra que ir à igreja se podemos conseguir muitos “produtos” oferecidos por ela sem a sua intermediação? Nos canais abertos ou privados da televisão você pode encontrar desde os sermões mais fundamentalistas até os mais moderninhos e engajados, basta escolher. E se estiver demorando muito, ou mesmo desagradando o telespectador pode-se trocar de canal, desligar ou até assistir o Big Brother Brasil. E olhe que tudo isto pode ficar muito mais barato do que o “dízimo” cobrado pelos modernos vendedores de indulgências. Para os mais familiarizados com a tecnologia, uma consulta ao Google pode até “substituir” a leitura da bíblia que os crentes já deixaram de lado há muito tempo.
Pode-se até "assistir“ o culto de igrejas, as mais diversas, ao redor do mundo através da internet sem que alguém venha abordá-lo. Se você quiser colaborar com qualquer destes “ministérios televisivos” sejam eles católicos, evangélicos ou até afro-espiritualistas pode usar o pagamento online e ainda receber em casa amuletos, óleos ungidos ou livros de autoajuda escritos e distribuídos “gratuitamente” àqueles que investirem financeiramente nestas teologias de prosperidade e de vitória.
Diante de tudo isso e dos escândalos protagonizados por líderes religiosos, afinal de contas, pra que serve a igreja?
O termo grego “ekklesia”, que deu origem à palavra igreja, significava originalmente uma assembleia de pessoas convocadas à praça pública para participar do processo de decisão dos destinos e rumos das cidades  gregas onde viviam. A palavra igreja foi apropriada pelos primeiros cristãos para designar as pessoas que tinham recebido um chamado de Deus, isto é,  uma vocação para sair espiritualmente do mundo em que viviam. Deixavam assim de viver  longe do agir divino e podiam engajar-se no projeto de Deus para a humanidade, mesmo sem sair fisicamente do mundo.
Este chamado de Deus recebeu o nome de evangelho, a boa notícia da salvação.  Deus estava disposto a nos perdoar e nos aceitar para um novo projeto de vida se crêssemos e caminhássemos com seu filho Jesus Cristo numa comunidade de fé e transformação de vidas, a igreja.
Originalmente igreja não era um edifício, nem um lugar, mas um movimento de pessoas que descobriram que podiam voltar a ter comunhão com Deus, pois seus pecados eram perdoados e seus velhos e nocivos hábitos eram transformados pela pregação da Palavras de Deus que foi preservada nas Escrituras Sagradas. O convívio entre eles, mesmo sendo perseguidos e tendo que se encontrar nas catacumbas, os fazia crescer e ser melhores pessoas, pais, filhos, patrões e empregados, enfim, cidadãos do céu vivendo na terra e transformando-a pelo seu testemunho de vida e evangelização.
Não se falava em ir à igreja mas em ser Igreja. Os edifícios, denominações, contribuições e instituições só surgiram porque aqueles que eram a Igreja de Cristo cresceram, se organizaram e assim o movimento do caminho de Cristo se institucionalizou. O grande risco da necessária institucionalização é matar o movimento. O movimento cristão de ser igreja transforma-se, muitas vezes, em monumento que lembra vagamente o que foi o movimento original.
Igreja só se torna relevante ser for um movimento de pessoas que amam a Deus sobre todas as coisas e imitam o viver de Jesus no mundo. Só tem sentido haver igreja enquanto houver vida abundante, transformação de caráter, cura interior e engajamento no projeto de viver a eternidade desde agora, ainda neste mundo, fazendo diferença.
Mas se a presença de Cristo não se perceber claramente nas pessoas que dizem ser a sua igreja, esta igreja não vai servir pra nada mesmo! É triste, mas é verdade.
Postar um comentário