quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Que devo fazer para ser salvo?

Esta pergunta foi feita por um homem que sentiu sua vida ameaçada. Inicialmente, ele pensou apenas no perigo imediato por causa de seu trabalho como carcereiro na cidade de Filipos, na Grécia, nos dias do Apóstolo Paulo. Paulo havia chegado à cidade e sua pregação sobre o amor de Jesus Cristo ameaçou abalar as estruturas sociais e econômicas da cidade. Ao crer em Jesus, uma escrava que dava grande lucro ao seu senhor por ter um espírito adivinhador, foi liberta de suas amarras espirituais e se tornou inútil para aqueles que a exploravam. Paulo, então foi chicoteado com Silas e, sem julgamento foi lançado na prisão amarrado pelos pés e pelas mãos num tronco aos cuidados daquele carcereiro. Durante à noite o carcereiro percebeu algo inusitado. Os novos prisioneiros, ao invés de amaldiçoar e reclamar como os outros, cantavam louvores a um Deus que o carcereiro não conhecia, embora pudesse ter ouvido falar através dos judeus residentes em Filipos. De repente, um tremor de terra abriu todos os cárceres! O carcereiro percebeu que todos os prisioneiros estavam soltos e isto representava para ele dois perigos de morte. Os prisioneiros poderiam matá-lo e à sua família para escapar sem que houvesse alarme imediato, ou pior, se eles fugissem e o deixasse vivo, ele receberia todos os castigos, chibatadas e penas que cada um dos prisioneiros receberia. Seria morte humilhante e certa. Sua reação foi sacar da espada e matar-se a si mesmo e já estava para fazê-lo ”Mas Paulo bradou em alta voz: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos! (Atos 16:28). Ele estava nas mãos daqueles homens. Sua pergunta foi em busca de um livramento imediato. Muitas vezes nos aproximamos de Deus porque nos vemos sem saber o que fazer ou a quem recorrer num momento de desespero. É possível que estejamos pensando naquele problema imediato, urgente, desesperador... No entanto, Deus vê mais longe e mais profundamente. Ele olha nosso coração, nossa alma, nosso passado, presente e se preocupa com nosso futuro terreno e eterno. Paulo apresentou àquele homem não uma salvação imediata e paliativa para o seu desespero atual. Falou-lhe de uma salvação mais ampla e abrangente. A salvação que todo ser humano precisa. Vivemos distantes de Deus e da vida que ele nos oferece. Esta é a raiz de todos os nossos males. Podemos usar de remédios e soluções imediatas, mas o vazio que sentimos é a ausência ou rebelião contra Deus. Crer no Senhor Jesus significa uma decisão de caminhar com Jesus dia a dia, sabendo que ele está vivo! Não é apenas uma filosofia bonita ou regramento da vida... É uma amizade que transforma a vida! Podemos conversar com ele, ouvi-lo no coração e na bíblia. Ele nos fortalece contra nossos vícios, nos orienta nas decisões. Que devo fazer para ser salvo? Antes e acima de tudo, reconhecer que preciso ser salvo. Isto pode ocorrer nos momentos de crise, como no caso deste carcereiro, mas também pode ser um cansaço de viver sem objetivos, uma solidão no meio da multidão. É preciso que nos percebamos sem Deus em um universo incomensurável. Só quem descobre esta solidão existencial que não se cura com companhias humanas, filosóficas ou religiosas, naturais ou artificiais pode encontrar a resposta para esta pergunta. Crê no Senhor Jesus e serás salvo!
Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo? Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. E lhe pregaram a palavra de Deus e a todos os de sua casa. (Atos 16:30-32 )
Postar um comentário